A moda na newsletter tá pegando e em meio a tanto caos de informação desencontrada nesse mundão virtual, as pessoas estão valorizando facilitadores que tragam links e, acima de tudo, conteúdo bom e que faça alguma diferença. Dessa forma, nós do Canguleiro pretendemos semanalmente disponibilizar os principais artigos e mostrar o que de bom está sendo discutido na web sobre cultura, arte, cotidiano e Natal.


1 – Acho que não tem como começar essa segunda feira sem falar da Plutão. Os meninos conquistaram o segundo lugar do Superstar e levaram a produção natalense para todo o país. Hoje eles postaram esse vídeo na fan page oficial agradecendo o apoio do público e contando um pouco do que vem por aí.

plutaovideo
Clique aqui para assistir o vídeo

2 – Falando em plutão, a baixista do Far From Alaska publicou no sábado uma carta aberta aos natalenses apoiando a banda potiguar. No texto, Cris Botarelli comentou o esforço das pessoas que tentam fazer música na cidade e ainda disse que Natal está dando o que falar no sul do país.

3 – Já que uma coisa puxa a outra, aproveito para indicar esse texto opinativo, escrito por Sérgio Vilar, sobre a excelente trajetória que a FFA vem fazendo nos últimos anos. A galera ganhou, neste mês, o prêmio revelação no Midem, maior festival de música do mundo!

4 – Junho também foi mês de estreia do novo site LGBT potiguar, Bicha Natalense.

5 – Falar sobre envelhecimento nunca é fácil, o texto da mineira Luana Simonini traz de forma poética a chegada dos 30 anos. Vale a pena dar uma olhada, também, no perfil dela do Medium, cuja descrição é “Histórias que beliscam”. Adorei.

6 – Por fim, aos amantes da leitura dedico um texto sobre a importância de um clube do livro. Eu, inclusive, morro de vontade de entrar ou começar em um, mas a gente sempre deixa pra lá, né?


No fim de cada cangulice que tal uma citação inspiradora? Dá uma olhada nas palavras minúsculas (literalmente) do português Valter Hugo Mãe:

aqueles peixes bonitos que vês dentro dos aquários pequenos, sabes que têm uma memória de uns segundos, três segundos, assim. é por isso que não ficam loucos dentro daqueles aquários sem espaço, porque a cada três segundos estão como num lugar que nunca viram e podem explorar. devíamos ser assim, a cada três segundos ficávamos impressionados com a mais pequena manifestação da vida

 

Até a próxima semana!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s