Textões da semana #09

A derrocada do Axé Music, as chantagens do governo Russo e cinco razões para acreditarmos em Roberto Justos como o presidente do Brasil

Decidi ser um leitor mais organizado em 2017. Nos primeiros dias do novo ano tracei as metas de leitura para os próximos doze meses com aqueles autores que precisava e queria ler. Separei em três diferentes listas: os livros clássicos, os autores contemporâneos e os principais romances e contos de Machado de Assis.

A primeira delas, inclusive, já comecei a cumprir. Separei doze medalhões da literatura mundial, um para cada mês. Em janeiro, por exemplo, escolhi ler Franz Kafka. Aproveite a compra recente de “A Metamorfose”, por meros oito reais, para dar o ponta pé no meu roteiro literário de 2017.

Essas duas últimas e primeiras semanas também foram de leitura sobre a posse do novo presidente dos EUA. Corri contra o tempo para acabar a edição de dezembro da revista Piauí, cuja reportagem de capa é sobre a cobertura jornalística da eleição americana e como os jornalistas não conseguiram deter o fenômeno Trump (inclusive, recomendo a assinatura da revista).

Os textões da semana, enfim, estão diretamente relacionadas às experiências pessoais que tive ultimamente.


franz-kafka

I – A gente sempre espera de um livro um final espetacular. Quando ele não vem, parece que ficou faltando algo. A prática do anti-clímax, porém, já foi utilizada por grandes escritores e também tem seu charme. Leia neste artigo do site Homoliteratus.

II –  Ciência sempre rende assuntos e matérias legais. Mas, muitas vezes, o conteúdo nos chega de uma forma bem complicada. O biólogo André Mazzeto criou um perfil no Medium com o objetivo de falar sobre ciência de uma maneira acessível. Neste artigo, ele fala sobre o que um anel de ouro o ensinou sobre Universo.

III – Para quem dá uma arranhada no inglês, sugiro ler esta matéria da revista americana The Atlantic sobre o costume do governo russo de apoiar chantagens públicas. Na semana passada, a imprensa dos EUA anunciou que a Rússia está possivelmente chantageando o novo presidente do país com um vídeo comprometedor.

roberto-justus-2

IV – Falando em presidente… e se nós tivéssemos o nosso próprio Donal Trump? Gustavo Ricci elencou cinco razões para acreditarmos que Roberto Justus será o novo chefe do executivo brasileiro. 

V – “Isso já não é uma disputa...” se você completou a frase anterior, parabéns, o Sertanejo também te viciou! Marília Mendonça, Simone e Simaria e Luan Santana são alguns nomes desse novo fenômeno da música brasileira. Mas, quem assume o poder acaba destronando alguém. Nos últimos anos, o Axé Music perdeu espaço nas rádios e nos eventos do país e esse cenário foi exposto em documentário.

Anúncios